9 Comments

  1. Aleido Díaz Guerra
    9 de maio de 2012 @ 19:04

    Eu concordo com Salón, tratasse mesmo de uma especulação financeira que só é bom para os especuladores e países que não tem possibilidade de produzir bens matérias, o que é fundamental para a sociedade.
    Para me é ruim por duas coisas em especial:
    A primeira é que até o momento a diminuição das emociones de gás não há tido resposta
    A segunda é que no caso do mercado de carbono não é mas que uma forma de manter os países não desenvolvidos dormidos com o recebimentos de mesquinhas castidades de dinheiro para que não explorem racional e eticamente sua riquezas naturais, que na minha opinião seria o correto.

  2. Rio+20 descarta temas essenciais « Rio + 20 …
    22 de maio de 2012 @ 13:08

    […] Quer-se uma nova frente de livre expansão do mesmo capitalismo, radicalizando a privatização e a mercantilização da natureza. Chamar isto de sustentabilidade e maquiar de verde tal economia não esconde o seu potencial de ameaça para a humanidade e a integridade do planeta. Chama a atenção a ausência dos direitos e responsabilidades socioambientais nas negociações. […]

  3. A alternativa ecossocialista | Canal Ibase
    4 de junho de 2012 @ 21:02

    […] tempo uma crise econômica e uma crise ecológica. Ambas resultam do mesmo fenômeno: um sistema que transforma tudo – a terra, a água, o ar que respiramos, os seres humanos – em mercadoria e que não conhece outro critério a não ser a expansão dos negócios e a acumulação de lucro. […]

  4. A alternativa ecossocialista | Enlace
    6 de junho de 2012 @ 18:43

    […] tempo uma crise econômica e uma crise ecológica. Ambas resultam do mesmo fenômeno: um sistema que transforma tudo – a terra, a água, o ar que respiramos, os seres humanos – em mercadoria e que não conhece outro critério a não ser a expansão dos negócios e a acumulação de lucro. […]

  5. O que pretende a Cúpula dos Povos? | Canal Ibase
    11 de junho de 2012 @ 22:24

    […] Economia verde simboliza talvez a principal diferença entre a conferência oficial e a Cúpula. A Cúpula dos Povos não quer ajustes no modelo atual, e sim outro modelo. O conceito de economia verde tem sido aplicado para, entre outras iniciativas, medidas de responsabilidade corporativa ambiental, incentivos oficiais a setores e empreendimentos que se comprometam a poluir menos, usos da bio e da nanotecnologia, ações mitigatórias como o mercado de créditos de carbono. Como argumenta Pablo Solón em entrevista, economia verde faz referência a uma nova e grande frente de negócios. […]

  6. Pescadores denunciam assassinatos e violações em obras do Comperj | Canal Ibase
    2 de agosto de 2012 @ 17:39

    […] Os pescadores fizeram um apelo à população, lembrando que a pesca artesanal é responsável pelo sustento de muitas famílias e por parte da produção alimentícia do Estado do Rio de Janeiro. Isac de Oliveira, da Associação de Pescadores e Aquicultores de Pedra de Guaratiba, lamentou o descaso com a atividade o que, segundo ele, afeta direta ou indiretamente a vida de toda a população. “Estamos perdendo nossas águas, nosso modo de vida, a soberania alimentar deste estado está em r… […]

  7. Cidades sustentáveis devem unir o verde e o vermelho | Canal Ibase
    19 de setembro de 2012 @ 21:18

    […] proposta da economia verde está em um ambiente de tanto conflito que eu volto ao que Brundtland disse: não se trata só da capacidade de as gerações futuras […]

  8. Biodiversidade a peso de ouro | Canal Ibase
    18 de outubro de 2012 @ 19:35

    […] Não é muito difícil prever que nada disto pode dar bom resultado. Correntemente enfrentamos ainda as consequências de uma crise mundial provocada sobretudo pela financeirização da economia. Sabemos também que os projetos de “conservação da natureza” que foram surgindo pelo mundo impulsionados pela financeirização da natureza, sobretudo ao abrigo do mercado de carbono europeu, têm levado a violações de direitos humanos, desrespeito pelos direitos de comunidades indígenas, apropriação ilegal de terras e todo o tipo de fraudes destinadas a encobrir o insucesso dos projetos.Mesmo assim, muitos governos ainda parecem achar que é uma boa ideia entregar o destino do planeta aos especuladores. […]

  9. Vírus Planetário – A ALTERNATIVA ECOSSOCIALISTA
    24 de fevereiro de 2013 @ 20:55

    […] tempo uma crise econômica e uma crise ecológica. Ambas resultam do mesmo fenômeno: um sistema que transforma tudo – a terra, a água, o ar que respiramos, os seres humanos – em mercadoria e que não conhece outro critério a não ser a expansão dos negócios e a acumulação de lucro. […]