4 Comments

  1. tiago thorlby
    7 de dezembro de 2012 @ 00:06

    A mesquinhez da classe dominante nos corrompe! Já chega de falar em “segurança alimentar” – já chega desta mesquinhez na hora de pensar Brasil … Brasil: continental, colorido e, acima de tudo – Soberano! Sim, soberano – assim como em Soberania Alimentar.

  2. Jose Sousa da Hora Filho
    7 de dezembro de 2012 @ 01:45

    O programa é bem desenhado e com bons resultados em alguns locais. Valença-Ba e região é um bom exemplo do programa. A dificuldade está no acompanhamento e orientação técnica aos pequenos agricultores. Os Bancos, oficiais e privados não tem sido bons parceiros na hora da liberação de recuros, por outro lado as secretarias municipais de agricultura não vem dando a devida atenção ao programa. Vejo os pequenos produtores querendo avançar porem vejo a falta de assistencia nos diversos campso que deveriam atuar em parceria.

  3. Lucia Zanato Tureck
    7 de dezembro de 2012 @ 08:38

    Concordo com os comentários anteriores. O apoio técnico e político nos pequenos municípios – que são a maioria no país – ainda é precário; e, por ser fundamental, sua ausência acaba limitando as possibilidades do Programa efetivar-se e apresentar os resultados que têm força para mudar a realidade da produção de alimentos e condições da Agricultura Familiar. Certamente esta falta de apoio relaciona-se com a visão elitista dos políticos e técnicos.

  4. Democracia alimentar para acabar com a fome | Canal Ibase
    9 de abril de 2013 @ 19:03

    […] de boas intenções, nem de acordos assinados, ou de lideranças fortes nos altos escalões… Depende única e exclusivamente de vontade política. E esta não […]