5 Comments

  1. Michèle Sato
    21 de setembro de 2012 @ 01:06

    adoro o ibase e sou leitora assídua do jornal/boletim. parabéns.

    como membro dos direitos humanos (dhesca) iremos numa missão lá em breve. a matéria nos ajudou bastante, grata.

    ps – ainda q a briuncadeira com as cores foi uma boa tentativa, soou racista!

  2. tiago thorlby
    21 de setembro de 2012 @ 08:05

    Excelente material – video+parte escrita.
    … mas por que falam em lado “negro”? Por que não dizer logo – “genocidal”, “desastroso” etc?
    Já chega de malhar o povo afro-ascendente com o adjetivo “negro” para descrever o comportamento genocidal, desastroso dos “brancos”!

  3. Augusto
    21 de setembro de 2012 @ 13:28

    Oi, pessoal, me chamo Natália e edito o Canal Ibase. O título teve a intenção de brincar com a expressão “o lado negro da força”, popularizada pelo filme Star Wars, e com a questão do etanol ser considerado um combustível “verde”, mesmo com todos os seus impactos socioambientais. Em hipótese alguma quisemos ofender os negros ou soar racista. Mas vamos prestar mais atenção da próxima vez. Agradeço os pertinentes comentários. Abraços.

  4. Maria Olina souza
    21 de setembro de 2012 @ 14:18

    Queridos,
    Adoro este boletim e tb me “decepcionei” com a brincadeira do “lado negro”. Sei que não são racistas e que por sinal o combatem, lembro apenas que a escrita é uma forma eficaz de disseminar novos conceitos e de romper com os velhos, como estes que ligam a cor negra ao sujo, ao mau, ao indesejável.

  5. Cristiano Navarro
    22 de outubro de 2013 @ 18:04

    Onde está escrita a palavra negro? no texto ou no título do filme? Não está escrito e não há nenhuma referência a palavra negro no filme.