6 Comments

  1. Rodolfo Sant'Ana Gomes Alvares de Abreu
    8 de setembro de 2012 @ 15:31

    Devemos tudo a ditadura e ao imperialismos industrial tb. Somos reféns de injustiças e escravos de todos em virtude os mais humildes querem saber o que os formados já descobriram… mais existe um porem, onde iremos para alem? As descobertas não são mais uma busca para a comunidade e sim a marca registadas de novos códigos Davi Vinci, para onde olhamos vemos desesperos e despejos dos trabalhadores, remoções de pessoas, mais somos os mesmos em significados ausentes em protagonismos querem mudanças tão incomensuráveis e vendemos dificuldade para promovermos as facilidades…

  2. Engº Agrº Eduardo Leite Soares (Gudi)
    12 de setembro de 2012 @ 17:31

    Boa tarde! Eu particularmente sou contra este termo ” patrimônio natural da humanidade” pois o Planeta é patrimônio da
    Naturaza ou Universo ou …, quando usamos este termo parece que os homens são os donos do planeta. E por se acharem donos, criaram as fronteiras e desta forma cada um usa a “Sua propriedade” da forma que quer, e foi assim que promovemos o tamanho desequilíbrio em que a vida na terra passa. E quando falamos em proteger o planeta na verdade estamos protegendo a vida na terra e não a vida do planeta. Se conseguirmos terminar com a vida na terra, ela a mãe terra vai continuar sua trajetória de bilhões de anos e daqui a alguns milhares ou bilhares de anos a vida estará de volta, pois as condições que o planeta oferece para a existência de seres vivos (posição em relação ao sol, água, terra, ar e outros) vão continuar existindo. A vida estará de volta a terra sem “donos e sem fronteiras” e assim o planeta continuará o
    seu ciclo natural, que se tudo correr bem será de mais alguns bilhões de anos. Até outro dia Gudi